Boletim agropecuário destaca término da colheita do café

Documento publicado semanalmente pelo Deral aborda, entre outros assuntos, o encerramento da safra de café no Paraná, com expectativa de que sejam produzidas 943 mil sacas de 60 quilos em 35.556 hectares

O término da colheita do café no Paraná é o destaque do Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária, referente à semana de 13 a 18 de setembro. O documento, produzido por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, também analisa a situação de outras culturas.

A colheita do café da safra 2019/20 já está encerrada no Paraná. Os números finais de produção ainda serão aferidos pela equipe de campo do Deral, mas a estimativa é de que tenham sido produzidas 943 mil sacas de 60 quilos em uma área de 35.556 hectares. Caso o número se confirme, a produtividade média será de 26,5 sacas por hectare, ligeiramente superior à obtida na safra anterior.

O clima quente e seco predominante na safra que se encerra provocou efeitos distintos. No período da frutificação, foi desfavorável para o desenvolvimento da cultura, mas, ao persistir durante a colheita e secagem, garantiu que o produto resultante fosse de boa qualidade. A manutenção do mesmo clima desde o primeiro semestre deste ano já passa a preocupar os cafeicultores em relação ao potencial produtivo da próxima safra.

A comercialização ainda está em ritmo lento, com os produtores optando pela venda apenas para cobrir despesas imediatas. Estima-se que 43% da produção estão negociados, repetindo o que se observou no mesmo período do ano passado. As cotações no mercado físico estão sujeitas às incertezas econômicas e financeiras internacionais, mas o que se observa é que a remuneração ao produtor está abaixo do custo de produção.

MANDIOCA E SOJA – O clima seco e quente também continua dificultando os trabalhos de campo tanto no plantio quanto na colheita da mandioca. E isso reflete nas indústrias de fécula, que estão com maior ociosidade, e parte delas passa a se abastecer em São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Situação semelhante vivem os produtores de soja. Mesmo com o fim do vazio sanitário, o plantio praticamente não iniciou. Na safra anterior esse problema já foi enfrentado e o plantio começou efetivamente somente em outubro, o que pode se repetir.

MILHO E TRIGO – O boletim registra, ainda, que a colheita da segunda safra de milho está na reta final, restando apenas 132 mil hectares de uma área total de 2,3 milhões de hectares. A produção deve ficar em torno de 11 milhões a 12 milhões de toneladas. Os produtores também já estão plantando a safra 2020/21.

O último relatório de plantio e colheita de trigo apontou que aproximadamente 23% da área semeada já foram colhidos, o que equivale a 258,6 mil hectares. A estimativa de produção é de 3,47 milhões de toneladas.

OUTROS PRODUTOS – O documento preparado pelo Deral também traz um panorama do plantio de feijão e informações da produção de orquídeas, crisântemos e rosas no Paraná. Na olericultura a análise é sobre o preço em queda da cebola e da batata nas Ceasas do País, enquanto o tomate está em alta.

No setor de pecuária, os analistas do departamento comentam a expressividade internacional da carne bovina brasileira, com volume e faturamento em alta, além da crescente importância que a avicultura de ovos conquista.

Confira o Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária – semana de 13 a 18 de setembro.

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

Você pode gostar também